As melhores dietas sem efeito rebote

As melhores dietas sem efeito rebote

sofrer efeito rebote


O efeito rebote é uma das maiores preocupações de todas as pessoas que em algum momento de sua vida desejam perder peso, já que com o efeito rebote voltaremos a recuperar o peso perdido em pouco tempo. Até mesmo em alguns casos, subiremos mais de peso do que antes de começar a dieta.


Por isso, o importante é saber quais são as causas do efeito rebote e como podemos evitá-lo para obter um resultado ótimo em nossa dieta.


Quais são as causas do efeito rebote?


Embora existam várias causas, uma das principais é que a pessoa elimina os hábitos adquiridos durante a dieta e voltar a seus antigos hábitos, que foram precisamente os que o levaram a sofrer um aumento de peso.


Outra das causas que nos encontramos é que essas pessoas têm seguido uma dieta pouco balanceada, em geral, uma dieta “que está na moda”. Este tipo de dietas tendem a excluir certos grupos de alimentos, causando um desequilíbrio em nosso corpo e um défice nutricional.


Ao sofrer este défice durante a dieta, uma vez terminada a mesma, essas pessoas começam a comer muito desse tipo de alimentos. Além disso, seu corpo vai começar a armazenar mais reservas para o caso em outra ocasião, acontece o mesmo “problema” e essas reservas são armazenados em forma de gordura.


As melhores dietas para evitar o efeito rebote


Sabendo disso, as melhores dietas sem efeito rebote, serão as que realize cumprindo estas características:



  • Planejar a dieta: Este é um dos pontos essenciais. Você deve saber quantos quilos deseja perder por semana. Lembre-se que as dietas são medidos em semanas e meses, não dias.

  • Não seguir nenhuma dieta da moda: Este tipo de dietas que ajudam a perder peso rápido e por isso se tornam tão populares, mas você vai recuperar o seu peso em menos tempo do que levou em baixá-lo.

  • Uma perda de peso progressiva: As perdas de peso agressivas são como um bumerangue: quanto mais rápido você descer de peso, mais rápido você recuperará. Há que armar-se de paciência para perder peso gradualmente.

  • Pratique exercício físico: Se me leu mais vezes, você sabe que o exercício é um pilar básico na diminuição de peso. É normal que as pessoas, uma vez alcançado o seu objetivo de perda de peso, deixar de fazer exercício e mudem seus hábitos de vida, pelo que o seu peso subirá rapidamente.

  • Clique vida social: conheço casos de pessoas que não saíam para comer por lá, porque estavam a fazer dieta. Se sair para comer fora, é provável que não cumpra o seu objetivo diário e que lhe passes com as calorias de um prato. Não acontece nada! Mas controla, que se passes em um prato não quer dizer que você pode saltar todas as regras, experimentar todos os pratos, pedir uma sobremesa doce, etc.

  • Quando terminar a dieta, segue-se com uma dieta de manutenção: Como seu nome indica, estas dietas, servem para manter o seu peso. Em muitos casos, não é considerada nem mesmo uma dieta, já que basta consumir alimentos saudáveis e uma quantidade de calorias que possamos queimar ao longo do dia.
Como regra geral, o saudável é perder até 2 quilos por semana. Não verifique o seu peso diariamente, já que pode haver variações por perda ou acúmulo de água.

Como você viu, esses são pontos que devem cumprir as dietas sem efeito rebote. Talvez te faça um pouco difícil planejar uma dieta exata que se permita perder peso e continuar a desfrutar das refeições. Se é assim, eu recomendo que você faça click aqui para ver este vídeo.


Se você gostou dessas dicas, eu apreciaria um +1, um Gosto ou um tweet.

9 alimentos para melhorar a memória

9 alimentos para melhorar a memória

Atualizado el13 de abril de 2018, 13:11

A Sociedade brasileira de Endocrinologia e Nutrição (SEEN) acaba de apresentar a sua campanha “Cuide de seu peso, cuide de sua memória”. E é que, como dizem seus porta-vozes, cada vez fica mais claro que há uma relação direta entre obesidade e distúrbios cognitivos (perda de memória, diminuição da capacidade de resposta e de interagir dados, menor concentração, diminuição da capacidade de reação…).

  • Uma dieta adequada pode evitar o excesso de gordura corporal e ajudar a protegê-lo de tudo mencionado. Por isso, neste artigo você vai encontrar uma proposta de menus. São concebidos com um duplo objectivo: que não aumentem o seu peso e que “alimentarem” bem seus neurônios.
  • A escolha adequada de nutrientes antioxidantes, boas gorduras e hidratação também é fundamental para as células do cérebro. Também aqui lembramos os ideais.

Relacionado com este artigo

Entrevista

  • Mova-se… O seu cérebro! Não apenas o seu coração, também seus neurônios precisam de atividade. Por cada hora que você passa sentado, passeio de 15 minutos e ganha saúde.

Além disso, suspeita-se que a inflamação sistêmica, que se dá quando há muitos quilos a mais também afeta os neurônios, deteriorándolas.

O que você pode comer para cuidar da memória?

Te revelamos os alimentos que você deve incluir em sua dieta se você quer cuidar da sua memória. Como dissemos antes,tudo está em jogo!

Por exemplo, você sabe qual é a bebida capaz de neutralizar o dano causado pelo excesso de gorduras e, ao mesmo tempo, proteger o seu cérebro? O chá verde!

1. uma onça de chocolate preto diária

O chocolate pode ser quase uma medicina para as pessoas olvidadizas por seus antioxidantes, especialmente os flavonóides. Mas não vale qualquer: se contém muitas gorduras saturadas ou açúcares adicionados, os efeitos graves são maiores que os benefícios. Dito isto, olhe no rótulo

  • Opta por ter uma alta percentagem de sólidos de cacau; não de manteiga de cacau, que também é conhecido como óleo de theobroma e é feito com a gordura que envolve as sementes. Tem muito sabor, mas poucos flavonóides. Se você não vê essa diferença na embalagem, suspeita se tem muitas gorduras.
  • O açúcar não deve ser o componente majoritário. De fato, é preferível que se procure o chocolate que não leva açúcar, nem aromas que escondam seu amargor.

2. Sem líquidos, sua mente torna-se pequena

O cérebro, como os músculos e rins, contém maior concentração de água do que o resto do corpo.

Relacionado com este artigo

Memória

Nos meses de frio bebemos menos líquidos. E, embora, é lógico, por aquilo de que não sudamos, há que ter em conta que os aquecedores podem “resecarnos” por dentro e por fora. Nosso corpo é 70% água.

  • E o mesmo acontece com nosso cérebro, onde o elemento predominante é também o líquido. Por isso, quando não toma tudo o que você precisa, você encontra mais irritável, dói a cabeça, você se torna mais lento de reflexos e você se lembra pior das coisas. Dizem muitos estudiosos que isso, ir mais lentos ao pensar, lembrar ou decidir, acontece já com uma desidratação leve, de apenas 2%.

Outro bom motivo para estar melhor hidratado

Veja o seguinte raciocínio: é muito provável que ao acordar não sinta fome e, em troca, sim vontade de beber.

  • A razão: São muitas as investigações que demonstraram que a fome não está em seu pico máximo ao acordar. E, apesar disso, é provável que a primeira coisa que você quer comer… não beber.
  • Curiosamente, os fins-de-semana sim, temos mais vontade de tomar café da manhã. O que acontece é que esses dias associamos esse momento ao tempo livre e ao bem-estar.
  • Estas sensações são governadas pela mente; e não é sempre que quiser levar algo à boca tem fome. Olhe atentamente para o truque da caixa inferior.

3. Por que estamos confundindo a sede com a fome…

Hoje em dia estamos expostos a tantos estímulos de comida que nosso cérebro “se perder”.

Relacionado com este artigo

lapsus

  • A razão: os centros da fome e da sede estão em nosso cérebro e são controlados pela mesma zona, o hipotálamo. Por esse motivo, às vezes, as duas sensações se confundem.
  • O efeito: Se você não beber o suficiente, você terá “picos” de fome. Além disso, também vai notar a fadiga e… cuidado!, porque é isso que te leva a pensar que, comendo-te passará a fraqueza.
  • O truque: Para identificar o que realmente sente, bebe e aguarde 10 minutos. Se a fome desaparece, seu corpo pedia líquidos, não comida (que era “falso” apetite). Se não tiver passado mais de 4 horas desde a comida e notas certa ansiedade, o que você terá será a sede.

Outras formas de beber

Estas são outras formas de hidratarte no inverno, que, além disso, fornecem alimento para o cérebro. O água fresca é a melhor opção para se hidratar, mas também estas outras bebidas. São saudáveis e de baixas calorias.

Relacionado com este artigo

Nutrição & saúde

Chás, com duplo efeito (pergunte ao seu médico se você médicas ou sofre de hipertensão ou diabetes)

  • Tomilho. Contém uma substância, chamada apigenina, que fortalece as conexões entre os neurônios, algo fundamental para manter o cérebro jovem.
  • Hortelã ou alecrim. O alecrim ajuda a ter uma melhor concentração e, segundo alguns estudos, a hortelã melhora a memória a longo prazo e o estado de alerta.
  • Camomila e sálvia. A primeira contém apigenina (como o tomilho); e a segunda influencia processos que melhoram todas as funções neurológicas.

Os sucos mais “inteligentes”

  • Pera + espinafre + kiwi + gengibre. Você se beneficia pela fibra que contribui (reduz a absorção dos açúcares) e seus compostos antioxidantes.
  • Uvas pretas + granada + laranja. A boa memória é assegurada a tomar esta mistura ao jornal. É rica em polifenóis, vitamina C e ácido fólico.
  • Mirtilos + limão + maçã. Sempre que possível, use a maçã vermelha com pele (melhor se for biológica). Assim fornece ácidos orgânicos antioxidantes.

4. Todo o omega 3 que precisa para que o seu CÉREBRO

A maioria das pesquisas coincidem: os ómega 3 são “alimento” do cérebro. Tão maravilhoso é que demonstrou ter benefícios anti-inflamatórios e também anti-placas de amilóide e anti-tau.

  • Isso, segundo os cientistas, significa que pode contribuir para prevenir alguns casos de doença de alzheimer.
  • Um estudo publicado no Journal of Alzheimer Disease confirma, além disso, que o cérebro dos pacientes com altos níveis de omega 3 recebe mais sangue, o que melhora o seu desempenho e afasta a sua deterioração.

5. Óleos Trans

São os óleos também conhecidos como os hidrogenados. Estes ácidos gordos danificam os neurônios. Certifique-se de que o que você compra não os contêm.

6. o abacate e as sementes de abóbora

Tanto um como os outros são considerados super alimentos para o cérebro. Eu beba diariamente!

Relacionado com este artigo

Mente sã

  • Se você comprar uma abóbora, não rejeites suas sementes. Deixe secar e adicione-as à purés ou iogurte (pode tostarlas ligeiramente).
  • Um abacate médio por dia faz com que o cérebro sempre disponha de luteína (também boa para os olhos), que melhora. Ralla o osso para aproveitar seus compostos químicos.

7. Um toque de açafrão PARA PENSAR MELHOR

Um único grama de cúrcuma melhora todas as funções cerebrais, as 6 horas de tê-lo tomado.

8. Alcaparras, as tomadas?

  • Polifenóis. A Universidade de Boston mostrou que fornecem uma boa quantidade de polifenóis que melhoram o cérebro.
  • Em massas ou peixes. Adicione um abraço a estes pratos ou às suas saladas e les você dará um sabor muito especial.

9. Antioxidantes para lembrar

Os neurônios são muito sensíveis aos radicais livres que oxidam.

Relacionado com este artigo

CÉREBRO

Tente imaginar um objeto de metal antigo. O que aspecto tem? O enferrujado? Com toda a certeza, porque o ar, o oxigênio, lhe dá esse aspecto herrumbroso. Exatamente o mesmo há em nossas células.

Na verdade, são umas moléculas, radicais livres– que as danificam. Mas existem maneiras de diminuir essa consequência negativa.

  • Os alimentos com substâncias antioxidantes bloqueiam o efeito dos radicais livres, que evitam o envelhecimento precoce.
  • Aumentar a quantidade de frutas e legumes diárias é uma boa medida. Mas, acima de tudo, açafrão, tomate, alcaparras e frutos roxos e vermelhos.

10. Amoras e uvas pretas

Estes dois vegetais que ajudam a manter saudáveis e ativas as células nervosas do cérebro. Sua resveratrol “dá vida” aos seus neurônios.

Também contém grande quantidade de antioxidantes.

8 sintomas pouco conhecidos de um problema de tiróide

8 sintomas pouco conhecidos de um problema de tiróide

Atualizado el24 de maio de 2018, 22:17

As alterações da tireoide, que continuam a ser grandes desconhecidas. Calcula-Se que cerca de 700 milhões de pessoas em todo o mundo têm uma tireoide alterada… E a metade delas nem sequer suspeita que seu organismo está em desequilíbrio.

A glândula tiróide tem cerca de 7 centímetros de largura e pesa cerca de 30 gramas. Quando “doente”, seu tamanho e seu peso se altera.

Mas, geralmente, não percebemos as mudanças em sua aparência (melhor dito, em a pele que o cobre), até que alguns sinais são já muito chamativas ou alteraram consideravelmente o nosso ritmo de vida.

Relacionado com este artigo

NUTRIÇÃO & SAÚDE

Por esse motivo, vale a pena que você esteja atento a outros sintomas que podem entrar em estado de alerta.

1. UM VULTO AO BEBER ÁGUA

Este teste simples, que você pode fazer em qualquer lugar, você pode dar informações de como está sua tireoide. Basta beber água em frente a um espelho , seguindo os passos abaixo:

Passo 1. Com uma mão segure o espelho (se é pequeno e portátil) ou fique em frente a um maior (por exemplo, o banho, mas não muito longe dele). Permaneça de maneira que reflita a área de seu pescoço que há entre a área mais próxima ao queixo (laringe) e a clavícula.

Passo 2. Inclina um pouco a cabeça para trás enquanto você continua olhando no espelho.

Passo 3. Toma um gole grande de água e trágalo.

Passo 4. O que acontece em seu pescoço enquanto tragas o líquido ingerido?

Passo 5. Se aparece algum volume ou anotações, um inchaço anormal, consulte o seu médico.

  • Siel aumento do tamanho é uniforme, pode tratar-se de bócio.
  • No caso de que seja doces gulosos (com zonas mais volumosas, poderia tratar-se de um nódulo tireoidiano.

2. Sua pele está desidratada

Se a tireóide vai “lenta”, como ocorre no hipotireoidismo, você vai notar a sua pele pálida e fria, embora o ambiente em que estejas a ter uma temperatura ideal.

Relacionado com este artigo

Saúde

A secagem é outra das evidentes sinais. Os especialistas chamam-xerosis cutânea e pode dar lugar, até mesmo, a que se libertam escamas.

A falta de transpiração costuma acompanhar os sintomas citados antes; mas com o hipertireoidismo ocorre o contrário: a transpiração é muito atraente.

3. MÃOS AMARELAS

As palmas das mãos e as plantas dos pés podem tornar-se amarelas se não são fabricados suficientes de hormônios da tireoide.

Relacionado com este artigo

sintomas

Ocorre por não metabolizar a vitamina A. Os beta-caroteno (em alimentos de cor laranja) se acumulam na pele e se dá esse distúrbio, chamado carotenemia.

4. UNHAS FRACAS

Algumas pessoas tem unhas quebradiças durante toda a sua vida, mas se notas que se passa desde há algum tempo –e há outros sintomas suspeitos– não perca de vista que pode ser culpa da sua tiróide.

Um crescimento mais lento do que o normal seria outra de sinais. Não só se quebram facilmente, mas que crescem a um ritmo lentísimo. Tenha em conta que se considera um crescimento normal se aumentam entre 0,5 e 2 mm a cada semana.

5. OLHOS SECOS E ESCUROS

Não convém ser alarmista, porque são muitas as causas de um olho seco… e alguns não têm impacto de curto prazo, como ficar em um ambiente muito carregado ou até mesmo a passagem dos anos, que costuma reduzir a possibilidade de fabricar lágrima.

No entanto, às vezes o olho seco si é um sinal de algo mais sério. Se a doença tireoidiana não se atrasa, podem aparecer sinais mais marcantes, como olhos arrancados.

Relacionado com este artigo

Tiróide

Oglobo ocular sai, e isso faz com que os olhos fiquem “esbugalhados” e, às vezes, que o pálpebra fique algo constrangida.

É possível, inclusive, que custe fechar as pálpebras. Ocorre quando o globo ocular está ocupando mais espaço (e mais para fora do que o normal. Essa situação pode dar origem a úlceras na córnea.

6. Um “bocado” nas coxas

Os médicos chamam-lhe eritema anular centrífugo, e é uma lesão avermelhada, que tem a aparência de um lanche ou de um anel de bordas avermelhadas e uma área central mais esbranquiçada.

Aparece geralmente nas coxas, dos glúteos e dos braços e, embora pouco comum, é próprio de alguns casos de hipotireoidismo.

7. observA SUAS SOBRANCELHAS

Perder até 1/3 das sobrancelhas, dos extremos, é outra dica. Se a tireóide vai lenta, esses folículos pilosos também se alteram.

Relacionado com este artigo

desintoxicação

Além disso, se você vê que o cabelo cai em tufos, deverá falar com o médico. Quando os hormônios não são produzidos em quantidade necessária, o ciclo que marca o nascimento e a queda do cabelo altera-se e a cabeça se percebem áreas clareadas que, em algumas pessoas, é muito atraente.

8. QUANDO SE DÁ O EFEITO “CARA INCHADA”

No caso de que o hipotireoidismo se mantenha no tempo, pode dar-se um espessamento dos tecidos moles da face.

O nariz, as maçãs do rosto, pálpebras e pescoço aumentam, o que dá lugar a um efeito inchado. Em muitos casos, os tornozelos e os pés também podem inchar.

8 Remédios naturais para aliviar os espasmos musculares

8 Remédios naturais para aliviar os espasmos musculares

Atualizado el24 de abril de 2018, 10:19

O estresse, má postura, um movimento brusco ou carregar pesopode prejudicar os músculos e acabar por provocar uma contratura. Trata-Se de um estado de rigidez ou contração de que padece o músculo e que pode ser muito doloroso. Além disso, podem ter um longo período de recuperação que nos transtorna o nosso ritmo de vida.

Relacionado com este artigo

LESÕES

Um primeiro conselho geral é não ficar muito tempo na mesma postura e fazer alongamentos e pequenas massagens de vez em quando. Também hás de lembrar-se de fazer um aquecimento antes de qualquer exercício físico.

No entanto, se quiser garantir mais ou não puder evitá-los, graças aos conselhos que nos dá o especialista em medicina natural Javier Mansa poderá preveni-las ou aliviarlas.

Remédios naturais para as contraturas musculares

  • Óleo de hipérico. Trata-Se de um bom preparado convém que tenhamos sempre à mão. Demora vários dias em estar a ponto, então não espere que alguém lhe faça falta e leve-o já no seu kit. É preparado com 50 g de flores e com folhas pequenas cortadas. É introduzido em um recipiente de 250 cm3 de vidro, e termina de encher com óleo de amêndoas. Deixe descansar em um armário protegido do calor e da luz, durante 20 dias. Passado este tempo, coar e está pronto para usar. Não aplicar antes da exposição ao sol.
  • Cataplasma de argila vermelha. Prepárala em um prato fundo ou tigela, com argila vermelha em pó, e adicione pouco a pouco água (fria ou quente, dependendo do tipo de contratura). Hás de ir acrescentando água até obter uma pasta espessa, homogênea e sem grumos. Aplique sobre a área afetada e deixe agir durante 30 a 60 minutos. Aplica-Se 1 ou 2 vezes ao dia, durante 2 a 5 dias. Mas você deve evitá-la se há feridas ou danos na pele.
  • Magnésio. Relaxa a atividade do tecido muscular. São recomendadas de 200 a 400 mg de magnésio, divididos em 1 ou 2 vezes ao dia. Não o tome durante muito tempo ou em caso de insuficiência renal.

Plantas medicinais para relaxar os músculos

  • Harpagófito. Tem virtudes analgésicas, ou seja, que suaviza a dor, e anti-inflamatórias. Uma combinação ideal que o músculo vá se recuperando. Tem que tomar de 400 a 800 mg de extrato seco por dia, distribuído em 1 ou 2 tomadas. Há que rejeitar este tratamento se sofre de úlcera gastroduodenal. Também não é aconselhável durante a gravidez e a amamentação.
  • Valeriana. Uma das plantas mais utilizadas para os casos de estresse. A sua actividade relaxante e antiespasmódica nos pode ir bem sobre a musculatura e desta forma ajudar a tratar os espasmos. Se usam de 300 a 900 mg de extrato seco de raiz, distribuídas em 1 a 3 tomas diárias. Não tomar durante a gravidez.

BANHOS AROMÁTICOS RELAXANTES

  • Banho de sais. Um banho relaxante e que te vai ajudar a reduzir o desconforto da contratura. É preparado em água quente a que se acrescenta 250 gr. de sais de epsom. Anteriormente, para reforçar seus efeitos gerais, adicione as sais 5 gotas de óleo essencial de manjerona, outras tantas de essência de alecrim e outras 5 gotas de lavanda. Uma nota importante, anteriormente, temos que dar os óleos essenciais em sais de Epsom, antes da descarga na água de banho.
  • Banho de sal gorda. Trata-Se de outro remédio clássico com virtudes relaxantes de toda a musculatura. Enche a banheira com água quente. Acrescenta-Se a sal gorda também pode incluir um óleo essencial, como a verbena e lavanda, para dar um toque aromático. Há que sua visão pelo menos dez minutos submersos para que o efeito relaxante comece a produzir.
  • Banho de vinagre. Tem propriedades também relaxantes semelhantes ao sal gorda. Simplesmente substitui o sal e os óleos essenciais por um par de copos de vinagre.

8 alimentos que protegem você contra o câncer de mama

8 alimentos que protegem você contra o câncer de mama

Atualizado el05 de maio de 2017, 12:05

Seguir uma alimentação baseada na Dieta Mediterrânea pode reduzir em 30% o risco de câncer de mama,segundo um estudo realizado pelo Grupo Português de Investigação em Cancro de Mama (GEICAM) em colaboração com o Instituto de Saúde Carlos III.

Legumes, frutas, legumes, peixe e azeite de oliva são os pilares desta dieta, e todos eles contribuem para afastar o câncer. Mas as pesquisas têm demonstrado que, destes alimentos, alguns se destacam mais por suas propriedades anti-tumorais contra o câncer de mama.

Etiqueta relacionadas com este artigo

Doenças

O câncer de mama é o tumor mais frequente na mulher –mesmo que o homem, em um percentual inferior, também pode-doença;–. Pode desenvolver-se em…

Os alimentos para prevenir o cancro de mama

Estes são os ingredientes e alimentos que deve incorporar na sua dieta para fazer com que diminua a probabilidade de gerar tumores no peito:

1. Azeite de oliva

A Universidade de Navarra e o CIBERobn fizeram uma pesquisa entre mais de 4.000 mulheres durante quase 5 anos, para estudar os efeitos da Dieta Mediterrânea enriquecida com 4 colheres de sopa por dia de óleo de oliva extra-virgem. Os pesquisadores chegaram à conclusão de que, para cada 5% de calorias provenientes de este tipo de óleo é reduzido 28% o risco de câncer de mama.

Para beneficiar destes efeitos antitumorais deve ser azeite de oliva virgem, já que se é refinado perde os fenóis, compostos que são consideradas potentes antioxidantes. Isso sim, devido a sua ingestão calórica, não é aconselhável que excedam essas quatro colheres diárias que estávamos mencionando.

2. Brócolis

É rico em sulforafano, que acelera a eliminação de substâncias tóxicas do organismo e faz com que as células cancerosas são “suiciden”. Além disso, o brócolis contém outros componentes que podem parar o processo de proliferação celular nas fases iniciais do câncer de mama. Consumir 5 ou mais porções por semana pode reduzir pela metade o risco deste tipo de tumor.

3. Cúrcuma

Esta especiaria, componente imprescindível do curry, tem uma poderosa ação anti-inflamatória, que ajuda a prevenir o câncer. E é que os processos inflamatórios favorecem que as células malignas proliferen. Além disso, graças aos curcuminoides que contém, é antitrombótica (fluidifica o sangue e evita a formação de trombos) e antioxidante.

Diversos estudos demonstraram as propriedades anticancerígenas da curcumina, que também se multiplicam ao tomá-la misturada com pimenta,outro ingrediente habitual do curry.

4. Frutos secos

Contribuem, entre outras substâncias benéficas, ácido fólico e vitamina B6. E de acordo com um estudo publicado no “Journal of the National Cancer Institute”, uma dieta rica nestes nutrientes reduz as chances de desenvolver câncer de mama, principalmente após a menopausa.

No caso específico de nozes, uma pesquisa da Universidade Marshall (estados unidos). UU.) sustenta que tomar um punhado (25 g) por dia poderia reduzir significativamente a taxa de incidência do câncer de mama. Esta foi reduzida à metade em um experimento com ratos. Além disso, demonstrou-se que o seu alto teor em ácidos graxos ômega 3, antioxidantes e fitoesteróis podem retardar o crescimento do câncer.

5. Granada

É muito rica em antioxidantes, que protegem as células dos danos dos radicais livres. E, como os frutos vermelhos, também tem ácido elágico, que ajuda a impedir a proliferação de células tumorais estrogênio-dependentes.

Você pode preparar um suco com o espremedor de sumos, partindo da fruta pelo meio como uma laranja. Outra opção é passar os grãos para a batedeira em velocidade lenta e sem que se trituren as sementes e coar o suco depois.

6. Legumes

Trazem muita fibra, mas além disso, o consumo de legumes tem importantes benefícios para o organismo.

O seu consumo reduz a absorção intestinal de glicose no sangue e evita os picos de açúcar no sangue. E isso é muito importante para prevenir o câncer de mama, já que, quando aumenta o nível de glicose no sangue produz mais insulina. A insulina estimula diretamente o ovário, fazendo com que produz mais estrogênio, e sabe-se que um nível de estrogênio elevado aumenta o risco de câncer de mama.

Um estudo da Universidade de Harvard (estados unidos). UU.) mostra que uma dieta rica em fibras, principalmente desde a juventude, previne este tipo de tumor. Calcula-Se que para cada 10 g de fibra consumido por diareduz em 7% o risco de câncer de mama.É dizer, que se você tomar a quantidade diária recomendada de fibra, 30-40 g, as probabilidades são um 21-28% mais baixas.

7. Maçã

Segundo o Instituto Mario Negri de Milão (Itália), comer uma maçã por dia reduz em 18% a probabilidade de se desenvolver câncer de mama, graças aos seus polifenóis. A maçã vermelha é a mais rica nestas substâncias e recomenda-se lavar bem e comê-la com a pele, já que é onde se concentram a maior parte dos polifenóis.

8. Iogurte

Os iogurtes e outros leites fermentados são alimentos ricos em probióticos, que ativam o sistema imunológico e exercem um efeito protetor para evitar a proliferação de células tumorais. Além disso, fornecem vitamina D, cujo déficit foi demonstrado que aumenta o risco de vários tipos de câncer, entre eles o de mama. Toma-o melhor sabor.

8 alimentos anti-idade que deveriam estar em sua dieta

8 alimentos anti-idade que deveriam estar em sua dieta

Atualizado el10 de abril de 2018, 10:22

Ganha juventude comendo bem

A genética marca como envelhecemos apenas em 25%. Nossos hábitos e da nossa alimentação também influenciam significativamente na nossa aparência e nossa saúde.

Vários estudos têm demonstrado que a forma em que comemos é determinante no envelhecimento. Por exemplo, um estudo da Escola Universitária de Medicina de Duke (EUA), revela que hábitos como manter um peso adequado, reduzir o stress, fazer exercício regular e uma dieta baixa em gorduras, açúcares e sal, e , sobretudo, rica em antioxidantes, são a chave para manter-se jovem por mais tempo.

Como devemos nos alimentar?

Uma boa pista para saber o que sua dieta está te oferecendo os antioxidantes que você precisa é a variedade de cores. E o colorido é uma das características que apresenta a famosa Dieta Mediterrânea.

  • Graças à sua variedade de frutas e legumes, além de peixes, cereais integrais, legumes, nozes e azeite de oliva obtemos essas cores diferentes.
  • E esta alimentação é rica em ácidos graxos monoinsaturados (óleo de oliva) e poli-insaturados Omega 3 (peixes e nozes), vitaminas, minerais, antioxidantes e fibras que ajudam a reduzir o risco de doença cardiovascular e câncer, protegem as funções cognitivas e, portanto, retardam os efeitos do envelhecimento.

A importância dos antioxidantes

É essencial incluir antioxidantes em nossa dieta, pois são umas verdadeiras jóias anti-idade. Estas substâncias são capazes de bloquear a ação dos radicais livres e, assim, os processos de oxidação que se deterioram o corpo com o passar dos anos e das doenças.

De forma endógena, o organismo conta com seu próprio sistema antioxidante para neutralizar e eliminar essas substâncias nocivas, mas muitas vezes não é o suficiente. Por isso é necessário contar com a ajuda “extra” de uma dieta rica em antioxidantes.

Tenha em conta que os alimentos mais ricos nestas substâncias são as frutas e legumes. Está comprovado que aqueles que seguem uma dieta rica em vegetais protegem sua saúde e até mesmo melhorar seu aspecto físico.

As proteínas adequadas

  • O ideal é que as proteínas que ingerimos são 50% de alto valor biológico, ou seja, as que fornecem todos os aminoácidos essenciais na quantidade certa e que podemos encontrar em ovos, leite, peixes, carnes…
  • Também acordam as proteínas de origem vegetal que, embora sejam de baixo valor biológico, podem complementar-se entre si para obter uma boa proteína, como é o caso da mistura de cereais e legumes. Além disso, as leguminosas, a soja contém fitoestrógenos (estrógenos vegetais) muito recomendáveis, especialmente, durante a menopausa, fase da vida em que o nosso nível de estrogênio é reduzida significativamente.
  • Não há que esquecer os queijos curados e os frutos secos. Os primeiros além de fornecer proteínas são muito ricos em cálcio, o que pode ser tomado com moderação, pois são calóricos) se deseja alternando com as carnes. Os frutos secos, por sua riqueza em Ômega 3, também são uma proteína de grande valor para a nossa dieta.

Os hidratos de carbono que melhor se vão

São a principal fonte de energia do corpo. Isso sim, deve optar basicamente por hidratos de carbono de absorção lenta(cereais integrais e leguminosas) e reduzir o consumo de açúcares refinados, principalmente sacarose, presente em doces, bolos ou bebidas, que contribuem com calorias vazias e podem aumentar os níveis plasmáticos de triglicérides.

Relacionado com este artigo

Dieta

A partir dos 40 anos, muitas mulheres tendem a reduzir a ingestão de carboidratos para emagrecer. Não cometa o erro.

  • Reduzir drasticamente os hidratos de carbono da dieta não causa mais do que nervosismo, hipoglicemia relativa (descidas de açúcar) e ataques de fome, com o que você acabou comendo ainda mais. Tenha em conta que, sem hidratos de carbono, o triptofano não é captado pelas células para produzir serotonina, o antidepressivo “interno” imprescindível para manter um bom humor.
  • Quanto à caprichos saudáveis, o chocolate contém ácidos graxos Ômega 3 e magnésio, que favorecem essa captação de triptofano. Por isso, essa necessidade imperiosa de comer chocolate (rico em magnésio) que muitas mulheres experimentam não é fruto apenas da fraqueza, mas de um impulso de fome seletiva que obedece à nossa inteligência biológica. Um impulso que é saudável se for tomado com moderação.

Toma gorduras… das boas

As gorduras são essenciais para um bom funcionamento de nosso organismo, mas há que observar que tomamos.

  • Aconselhamos consumir ácidos graxos monoinsaturados, como o ácido oleico do azeite de oliva extra-virgem.
  • Também poliinsaturados Ômega 3 (peixes e a maioria dos frutos secos). Essas gorduras têm ação antitrombótica, animal e antiarrítmica.
  • Você deve diminuir as gorduras saturadas (ovo, vaca, cordeiro, carne de porco, embutidos, manteiga, sorvetes, lanches ou refeição). Neste sentido, o colesterol diária não deve exceder 250 mg

Certifique-se o aporte de cálcio e vitamina D

Por último, entre os minerais, cabe destacar que a ingestão de cálcio deve estar em 1.200 mg/dia, e é fundamental manter essa quantidade em especial a partir da menopausa, pois o risco de osteoporose é alto.

Há que garantir o aporte de vitamina D, essencial para o metabolismo do cálcio, levando o sol (com moderação) e consumindo alimentos ricos nesta vitamina. E não se esqueça de que as dietas hiperproteicas diminuem a absorção de cálcio.