9 alimentos para melhorar a memória

9 alimentos para melhorar a memória

Rate this post

Atualizado el13 de abril de 2018, 13:11

A Sociedade brasileira de Endocrinologia e Nutrição (SEEN) acaba de apresentar a sua campanha “Cuide de seu peso, cuide de sua memória”. E é que, como dizem seus porta-vozes, cada vez fica mais claro que há uma relação direta entre obesidade e distúrbios cognitivos (perda de memória, diminuição da capacidade de resposta e de interagir dados, menor concentração, diminuição da capacidade de reação…).

  • Uma dieta adequada pode evitar o excesso de gordura corporal e ajudar a protegê-lo de tudo mencionado. Por isso, neste artigo você vai encontrar uma proposta de menus. São concebidos com um duplo objectivo: que não aumentem o seu peso e que “alimentarem” bem seus neurônios.
  • A escolha adequada de nutrientes antioxidantes, boas gorduras e hidratação também é fundamental para as células do cérebro. Também aqui lembramos os ideais.

Relacionado com este artigo

Entrevista

  • Mova-se… O seu cérebro! Não apenas o seu coração, também seus neurônios precisam de atividade. Por cada hora que você passa sentado, passeio de 15 minutos e ganha saúde.

Além disso, suspeita-se que a inflamação sistêmica, que se dá quando há muitos quilos a mais também afeta os neurônios, deteriorándolas.

O que você pode comer para cuidar da memória?

Te revelamos os alimentos que você deve incluir em sua dieta se você quer cuidar da sua memória. Como dissemos antes,tudo está em jogo!

Por exemplo, você sabe qual é a bebida capaz de neutralizar o dano causado pelo excesso de gorduras e, ao mesmo tempo, proteger o seu cérebro? O chá verde!

1. uma onça de chocolate preto diária

O chocolate pode ser quase uma medicina para as pessoas olvidadizas por seus antioxidantes, especialmente os flavonóides. Mas não vale qualquer: se contém muitas gorduras saturadas ou açúcares adicionados, os efeitos graves são maiores que os benefícios. Dito isto, olhe no rótulo

  • Opta por ter uma alta percentagem de sólidos de cacau; não de manteiga de cacau, que também é conhecido como óleo de theobroma e é feito com a gordura que envolve as sementes. Tem muito sabor, mas poucos flavonóides. Se você não vê essa diferença na embalagem, suspeita se tem muitas gorduras.
  • O açúcar não deve ser o componente majoritário. De fato, é preferível que se procure o chocolate que não leva açúcar, nem aromas que escondam seu amargor.

2. Sem líquidos, sua mente torna-se pequena

O cérebro, como os músculos e rins, contém maior concentração de água do que o resto do corpo.

Relacionado com este artigo

Memória

Nos meses de frio bebemos menos líquidos. E, embora, é lógico, por aquilo de que não sudamos, há que ter em conta que os aquecedores podem “resecarnos” por dentro e por fora. Nosso corpo é 70% água.

  • E o mesmo acontece com nosso cérebro, onde o elemento predominante é também o líquido. Por isso, quando não toma tudo o que você precisa, você encontra mais irritável, dói a cabeça, você se torna mais lento de reflexos e você se lembra pior das coisas. Dizem muitos estudiosos que isso, ir mais lentos ao pensar, lembrar ou decidir, acontece já com uma desidratação leve, de apenas 2%.

Outro bom motivo para estar melhor hidratado

Veja o seguinte raciocínio: é muito provável que ao acordar não sinta fome e, em troca, sim vontade de beber.

  • A razão: São muitas as investigações que demonstraram que a fome não está em seu pico máximo ao acordar. E, apesar disso, é provável que a primeira coisa que você quer comer… não beber.
  • Curiosamente, os fins-de-semana sim, temos mais vontade de tomar café da manhã. O que acontece é que esses dias associamos esse momento ao tempo livre e ao bem-estar.
  • Estas sensações são governadas pela mente; e não é sempre que quiser levar algo à boca tem fome. Olhe atentamente para o truque da caixa inferior.

3. Por que estamos confundindo a sede com a fome…

Hoje em dia estamos expostos a tantos estímulos de comida que nosso cérebro “se perder”.

Relacionado com este artigo

lapsus

  • A razão: os centros da fome e da sede estão em nosso cérebro e são controlados pela mesma zona, o hipotálamo. Por esse motivo, às vezes, as duas sensações se confundem.
  • O efeito: Se você não beber o suficiente, você terá “picos” de fome. Além disso, também vai notar a fadiga e… cuidado!, porque é isso que te leva a pensar que, comendo-te passará a fraqueza.
  • O truque: Para identificar o que realmente sente, bebe e aguarde 10 minutos. Se a fome desaparece, seu corpo pedia líquidos, não comida (que era “falso” apetite). Se não tiver passado mais de 4 horas desde a comida e notas certa ansiedade, o que você terá será a sede.

Outras formas de beber

Estas são outras formas de hidratarte no inverno, que, além disso, fornecem alimento para o cérebro. O água fresca é a melhor opção para se hidratar, mas também estas outras bebidas. São saudáveis e de baixas calorias.

Relacionado com este artigo

Nutrição & saúde

Chás, com duplo efeito (pergunte ao seu médico se você médicas ou sofre de hipertensão ou diabetes)

  • Tomilho. Contém uma substância, chamada apigenina, que fortalece as conexões entre os neurônios, algo fundamental para manter o cérebro jovem.
  • Hortelã ou alecrim. O alecrim ajuda a ter uma melhor concentração e, segundo alguns estudos, a hortelã melhora a memória a longo prazo e o estado de alerta.
  • Camomila e sálvia. A primeira contém apigenina (como o tomilho); e a segunda influencia processos que melhoram todas as funções neurológicas.

Os sucos mais “inteligentes”

  • Pera + espinafre + kiwi + gengibre. Você se beneficia pela fibra que contribui (reduz a absorção dos açúcares) e seus compostos antioxidantes.
  • Uvas pretas + granada + laranja. A boa memória é assegurada a tomar esta mistura ao jornal. É rica em polifenóis, vitamina C e ácido fólico.
  • Mirtilos + limão + maçã. Sempre que possível, use a maçã vermelha com pele (melhor se for biológica). Assim fornece ácidos orgânicos antioxidantes.

4. Todo o omega 3 que precisa para que o seu CÉREBRO

A maioria das pesquisas coincidem: os ómega 3 são “alimento” do cérebro. Tão maravilhoso é que demonstrou ter benefícios anti-inflamatórios e também anti-placas de amilóide e anti-tau.

  • Isso, segundo os cientistas, significa que pode contribuir para prevenir alguns casos de doença de alzheimer.
  • Um estudo publicado no Journal of Alzheimer Disease confirma, além disso, que o cérebro dos pacientes com altos níveis de omega 3 recebe mais sangue, o que melhora o seu desempenho e afasta a sua deterioração.

5. Óleos Trans

São os óleos também conhecidos como os hidrogenados. Estes ácidos gordos danificam os neurônios. Certifique-se de que o que você compra não os contêm.

6. o abacate e as sementes de abóbora

Tanto um como os outros são considerados super alimentos para o cérebro. Eu beba diariamente!

Relacionado com este artigo

Mente sã

  • Se você comprar uma abóbora, não rejeites suas sementes. Deixe secar e adicione-as à purés ou iogurte (pode tostarlas ligeiramente).
  • Um abacate médio por dia faz com que o cérebro sempre disponha de luteína (também boa para os olhos), que melhora. Ralla o osso para aproveitar seus compostos químicos.

7. Um toque de açafrão PARA PENSAR MELHOR

Um único grama de cúrcuma melhora todas as funções cerebrais, as 6 horas de tê-lo tomado.

8. Alcaparras, as tomadas?

  • Polifenóis. A Universidade de Boston mostrou que fornecem uma boa quantidade de polifenóis que melhoram o cérebro.
  • Em massas ou peixes. Adicione um abraço a estes pratos ou às suas saladas e les você dará um sabor muito especial.

9. Antioxidantes para lembrar

Os neurônios são muito sensíveis aos radicais livres que oxidam.

Relacionado com este artigo

CÉREBRO

Tente imaginar um objeto de metal antigo. O que aspecto tem? O enferrujado? Com toda a certeza, porque o ar, o oxigênio, lhe dá esse aspecto herrumbroso. Exatamente o mesmo há em nossas células.

Na verdade, são umas moléculas, radicais livres– que as danificam. Mas existem maneiras de diminuir essa consequência negativa.

  • Os alimentos com substâncias antioxidantes bloqueiam o efeito dos radicais livres, que evitam o envelhecimento precoce.
  • Aumentar a quantidade de frutas e legumes diárias é uma boa medida. Mas, acima de tudo, açafrão, tomate, alcaparras e frutos roxos e vermelhos.

10. Amoras e uvas pretas

Estes dois vegetais que ajudam a manter saudáveis e ativas as células nervosas do cérebro. Sua resveratrol “dá vida” aos seus neurônios.

Também contém grande quantidade de antioxidantes.